Amizade na primeira infância

Screen Shot 2016-10-05 at 8.19.40 PM.png

Ao voltar de um dia maravilhoso na casa de Davi, amigo de Isa, refletia se eu tinha ajudado essas duas crianças de 2 anos a se relacionarem e como eu gostaria de me comportar. Hoje a #qlq serão esses lembretes pessoais para um próximo encontro.

  • Esperar alguns minutos

Sei, por experiência, que Isa já aceita bem dividir brinquedos. Se falar uma vez e aguardar alguns minutos, ela irá espontaneamente dividir. Acontece que no momento do conflito com outra criança, “alguns minutos” parecem uma eternidade, e muitas vezes me vejo atropelando o ritmo natural dela, perdendo, assim, a oportunidade de deixar que ela faça suas sinapses e tome suas decisões.

  • Deixar que se resolvam

Com 2 anos, Isa e Davi ainda são muito pequenos para propor a resolução de um conflito sozinhos, mas podemos deixar que treinem um pouco. A cada encontro podemos segurar um pouco mais nosso impulso natural de pular diretamente para resolver o conflito e inicialmente intervir com perguntas que servirão apenas para desviar a atenção do embate e acalmar os ânimos. “Ah! Vocês querem o mesmo brinquedo?”, “Será que vocês conseguem resolver isso sozinhos ou querem ajuda?”, “Quem quer dividir levanta a mão”. Essa idéia nunca tentei antes, depois conto como foi.

  • Só um adulto intervém

Acho que todo mundo conhece essa cena: ao ouvir gritos de crianças se desentendendo todos os adultos presentes tentam intervir ao mesmo tempo causando uma confusão ainda maior.

  • Estimular o revezamento fora do conflito

Geralmente deixamos para treinar revezarem turnos quando o conflito por um brinquedo já está em curso. Da próxima vez quero estimular a troca em outras situações. Uma ideia pode ser de na hora do lanche, um dando comida pro outro alternadamente, ressaltando “agora é a vez de Isa, agora é a vez de Davi”.

As amizades dão às crianças oportunidades valiosas de aprendizagem. Quando as crianças interagem e brincam com outras, aprendem a importância da vida social e como controlar suas emoções. Isso vai ajudá-las a viver em harmonia com os outros, no decorrer da infância e na vida adulta. – Centro de Excelência para o Desenvolvimento na Primeira Infância

As amizades são muito importantes na vida da criança, mas devemos entender quais habilidades sociais são compatíveis com cada idade. Por exemplo, quando duas crianças com menos de 1 ano são colocadas lado a lado e diante de brinquedos, elas costumam continuar próximas, mas cada uma com seu brinquedo. É uma forçação de barra do adulto provocar e insistir na interação. A idéia de que “quanto antes a criança interage com outras, melhor para o seu desenvolvimento” é equivocada. Estudos mostraram que bebês na fase de aprender a andar sofrem o dobro de estresse quando são separados da mãe e inseridos numa creche. Para mais informação sobre a socialização em creche antes dos 3 anos recomendo dois links: um do Dr. Roberto Cooper e outro uma entrevista com Steve Biddulph. Para finalizar deixo aqui o link para uma visão geral dos marcos do desenvolvimento da socialização na primeira infância.

Um comentário sobre “Amizade na primeira infância

  1. Gostaria de parabeniza-la por este trabalho maravilhoso que tem feito no blog!
    Estou encantada com a qualidade das informações que você expõe aqui… me motivou a estudar o método montessori e a buscar atividades sadias pra fazer com minha filha!
    Muito obrigada.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s