Sua atenção vale mais que um elogio

Elogiar uma criança traz sempre uma sensação positiva, não é? Mas qual está sendo a qualidade desse elogio? A força do hábito nos leva muitas vezes a um elogio automatizado ou exagerado, ou até carregado de segundas intenções. E quais são as consequências na criança de se acostumar a ouvir um elogio a cada mínimo êxito?

Num elogio automatizado, como o da ilustração, adulto e criança perdem uma boa oportunidade de dialogar, de fortalecer o vínculo. Além disso, em termos de habilidades,  a criança também perde a chance de ampliar vocabulário, retórica, etc.Leia mais »

Só por hoje?

MAEC-20160809Você está cansado de um dia intenso de trabalho e acaba cedendo ao pedido choroso do seu filho de assistir TV até mais tarde “só dessa vez”. O problema está no dia seguinte quando você acha que seu filho está assistindo TV demais , não cede e vira aquele embate desgastante. Seus motivos são nobres, mas criança pequena não entende exceção, não entende porque o que valia ontem, hoje já não vale mais. O que ela entende é repetição, consistência e rotina.Leia mais »

Não rotule seu filho

“Mateus é danado”, “Pedro é bonzinho”, “Laura é teimosa” e “Julia é gulosa”.

Todos já falamos frases como essas acreditando sinceramente que era mera constatação, na verdade, mesmo sem intenção, estamos verbalizando nosso julgamento moralizador. Julgamos cada comportamento da criança e depois de um período resumimos essa contabilidade em um rótulo. Qual o problema nisso?Leia mais »

“Não tem motivo pra choro” … Tem sim!

MAEC-20160720-B

Qualquer mulher com TPM já ouviu isso e ficou ainda mais triste/enfurecida. Qualquer pessoa que lembra da sua adolescência já ouviu isso e também se sentiu incompreendida. A criança ao redor dos 18-24 meses está passando por um turbilhão de emoções e motivos ‘simples’ como não conseguir montar um quebra-cabeça pode leva-la ao choro. O que ela precisa é alguém que lhe ensine a lidar com essas situações.Leia mais »

“Siga a criança”

capa

Já tem muito tempo desde a última postagem! Não queria que tivesse demorado tanto, mas não tem sido fácil escrever com uma bebê de 17 meses e um de 1 mês em casa. Começaram as cólicas de Vicente e aqui quando chora um, choram dois! Já viu, né? Além disso, resolvi mudar o blog de plataforma para uma muito melhor (espero!), mas isso me tomou algum tempo de ajuste. Enfim, vamos a postagem que é o que importa.Screen Shot 2016-03-15 at 5.44.11 PM

Peço licença hoje para sair do terreno das orientações e dicas para divagar um pouquinho. Em meio as postagem sobre as atividades, acho importante fazer algumas dedicadas aos conceitos que lhe dão base. Para ressaltar a importância dos cuidadores na vivência desses conceitos, o professor Holmes escreveu no prefácio de um dos livros de Montessori:

”Em primeiro lugar, os pais não deveriam esperar que a mera presença do material no quarto será suficiente para operar um milagre educacional”.

Dois desses conceitos estão resumidos na frase do título “siga a criança”, liberdade e observação.

Leia mais »