Globo terrestre em papel machê

Globo terrestre em papel machê

Globo terrestre em papel machê
Globo terrestre em papel machê

Essa atividade foi proposta na nossa conta do Instagram pelo motivo da Semana do Brincar 2020.

Que tal fazer um globo terrestre de papel machê? Dá pra fazer qualquer objeto, segue sempre o interesse da criança.

Antes de explicar a técnica em si, faço um esclarecimento: pra essa atividade você não precisa de muitos materiais, mas precisa de bastante paciência. Acho que seria mais certo chamar essa atividade de projeto. A beleza dos projetos é que ajudam a criança a praticar certas habilidades cognitivas como ordenar as ideias num espaço de tempo maior. Agora vamos ao Globo:

1o. PASSO: Escolher com a criança o objeto a ser feito;


2o PASSO: Achar o seu objeto de base ou molde. Aqui usamos uma bola que ganhamos de lembrança de aniversário, mas poderia ser uma bola de soprar ou um bolinho de sacola plástica.

3o PASSO: Escolher a técnica de papel machê. Usamos duas combinadas, mas você pode fazer só uma:
3.1: Com JORNAL é simples e seca mais rápido, mas a jornal fica aparecendo mesmo depois de pintar com guache. Rasgue o jornal em tiras, mergulhe numa solução de cola e água ( 2 partes de cola branca e 1 de água). Retire o excesso de líquido com os dedos e cubra todo seu molde com as tiras;
3.2: Com PAPEL HIGIÊNICO: Deixe um rolo papel higiênico num balde com água e 1 colher de vinagre durante 3 horas. Triture o papel higiênico com as mãos o máximo possível. Olha movimento fino para as crianças. Um momento super propício pra CONCENTRAÇÃO, fique ligada e evite conversar e interromper. Escoe a água com a peneira e depois jogue o papel num pano para torcer e tirar todo o excesso de água. Devolva pra bacia e triture novamente até virar migalha. Bota a criançada pra fortalecer os músculos das mãos! Faça um mingau com 2 colheres de sopa de farinha de trigo e 2 copos d´água. Depois de frio acrescente 2 colheres de cola. Mistura tudo e coloca essa massinha sobre o molde;


4o. PASSO: Esperar secar bem. A depender a umidade da sua cidade pode levar mais de um dia;


5o. PASSO: Pintar se quiser. Para o globo terrestre pintamos tudo de azul e depois colamos os continentes pintamos com lápis e recortados.


Em Montessori o primeiro globo terrestre que apresentamos a crianças a partir de 3 anos é desse tipo, sem fronteiras dos países. Uma forma de explicar é falar algo como: “Esse é o nosso planeta, onde vivemos. Se pudéssemos pegar um foguete e subir no espaço viríamos algo parecido com isso”. Depois acrescenta que ele tem partes de água e partes de terra. Pronto, deixa a criança explorar.

Acompanhem os Igs que estão participando da Semana Mundial do Brincar para se inspirar e brincar com a gente!
@laranjaaoquadrado
@montessoriaquiemcasa
@atividadesdamanu
@pliciatividadesinfantis
@dengodemamae
@atividadesdapietra
@montessoriandoemcasa

Vem com a gente! Brincar importa!

#semanamundialdobrincar #smb2020 #brinqueemcasa

10 passos para apresentar uma atividade Montessori para bebês

A internet está repleta de atividades montessorianas para fazermos com nossos filhos, mas você sabia que Maria Montessori deixou orientações de como devemos apresentar essas atividades para a criança? Pode lhe parecer estranho, mas para mim, mais importante do que fazer muitas atividades é a preparação do adulto que acompanha essa atividade. Fiz um vídeo 3:30 em que demonstro a atividade do cofre (numa variação mais fácil) para Vicente (13 meses) e pontuei 10 passos que o adulto deve seguir na demonstração de qualquer atividade Montessori. No texto a seguir explico um pouco mais cada um deles.

1 – Prepare a atividade antes

Esse é um passo prévio, mas muito importante. Caso você note que falta algum material no momento da apresentação, a sua saída para buscar isso desconcentra a criança. De preferência ensaie a apresentação. Eu sempre me arrependo quando não ensaio, porque é o momento em que avalio qual a melhor forma de apresentar a atividade, qual o movimento da mão mais adequado, qual o angulo mais adequado e se realmente o material está totalmente compatível. Mas mesmo com ensaio, é claro que na hora da atividade em si você sempre notará melhorias que podem ser feitas

2 – Convide a criança

Por mais simples que pareça, há muita diferença entre ser convidado a trabalhar e ser instruído a fazê-lo. Diga a criança que tem algo para mostrá-la e peça que venha com você.

3 – Sente-se do lado dominante da criança

Sente-se no lado dominante da criança, do lado que ela tem mais habilidade, que escreve ou escreverá. Desta forma, a criança pode assistir e copiar seus movimentos exatos. Isso pode significar que você precisa aprender a apresentar atividades com sua mão não-dominante! Você deve ter notado no vídeo eu me equivoquei. Como sou canhota tenho que prestar o dobro de atenção porque minha tendência é sempre ir para o lado esquerdo, mas minhas duas crianças são destras.

4 – Demonstre, não explique

Use o menor número possível de palavras durante as apresentações. O foco da criança deve estar nos materiais e na apresentação, não em suas palavras.

5 – Demonstre da esquerda para direita, de cima para baixo

Todas as apresentações se movem nessa direção como uma preparação indireta para a leitura e escrita ocidental.

6 – Não corrija, observe

A criança não realizará a atividade com 100% de precisão na primeira vez. Ela irá executar da forma que entendeu que era para fazer e da forma como é capaz de fazer. Não corrija, interrompendo assim o fluxo da atividade, o erro não é importante. Da próxima vez que for apresentar a atividade novamente demonstre como se fosse a primeira vez, sem elevar o tom de voz onde ela errou.

7 – Faça movimentos lentos e conscientes

Pode parecer lhe parecer muito simples, mas para a criança é tudo novo. Retarde para que ele possa ver sua exatidão. Seus movimentos também devem ser lentos e conscientes durante a execução da atividade pela criança para não lhe tirar o foco.

8 – Mantenha o contato visual

Mantenha contato com os olhos ao convidar ou falar com a criança. Isto respeitosamente diz à criança que ele tem a sua atenção. Em troca, os olhos da criança dizem que a criança está pronta para aprender.

9 – Deixe repetir quantas vezes quiser

Não existe um tempo delimitado nem um número de vezes determinado a fazer. Respeite o tempo da criança naquela atividade, isso vai depender da complexidade e do seu interesse. Incentive-os a usar os materiais repetidamente para aumentar seu domínio, mas também não insista.

10 – Ao sinal de desinteresse, finalize

Se a criança não está interessada ou está cometendo erros, ponha a atividade fora. Haverá outra oportunidade para apresentá-la mais tarde. Pare antes de você e a criança ficarem frustrados.

Fontes

Material produzido por Soraia Andreia Silva, da moderação do grupo Montessori para Famílias e North American Montessori Center. Espero que seja de utilidade para mães que estão iniciando no método e podem ter algumas dúvidas.

Esclarecimentos

A – Cada atividade é uma oportunidade de apresentar novo vocabulário. Quando isso ocorrer, use a Lição em 3 Tempos. Ela foi suprimida desse material porque merece um vídeo exclusivo para ser devidamente exposto.

Deixo aqui a explicação do Lar Montessori da Lição em 3 Tempos:

Incialmente se mostra os dois objetos e se nomeia a ambos: “Isto é uma colher, isto é um garfo”. Em seguida, pede-se que o aluno aponte, pegue ou mova “a colher”, ou “o garfo”. Depois de algumas variações desta segunda parte, pergunta-se ao aluno “Qual é este?” e “Qual é este?”, apontando-se uma vez a cada objeto. Assim, na primeira etapa nomeia-se algo, transmite-se uma informação. Na segunda, associa-se o nome ao objeto de fato, por meio do movimento, principalmente. No terceiro tempo, testa-se o aprendizado da criança, para que saibamos se a lição foi cumprida. Usa-se poucas palavras, para não confundir a criança, e para que ela possa, a partir deste momento, exercitar-se livremente, sem precisar ficar presa ao adulto por muito tempo. – Lar Montessori

B – Existem pequenas variações ao apresentar atividades para crianças maiores. Depois de uma determinada idade as atividades incluem breves e claras explicações de como proceder.

C – Agora que você já sabe como apresentar qualquer atividade, concentre-se em escolher uma. Não se preocupe com a quantidade de atividades, mais importante é que esteja de acordo com a etapa de desenvolvimento do seu filho. Para isso, leia sobre Períodos Sensíveis. Sugestões:

Esses textos do Lar Montessori.

Esse quadro de atividades do Voilà Montessori (em espanhol e requer cadastro de e-mail)

Cesto dos Tesouros

abertura cesto tesourosPor volta do sétimo mês o bebê já experimentou diferentes texturas e formas e já está bem experiente com as diferentes capacidades das suas mãos. Já domina agarrar e soltar objetos de acordo com sua vontade, entendendo que sua capacidade é mais que colher informações, mas também modificar seu ambiente. É chegada a hora de passar para a descoberta de objetos do cotidiano ao seu redor.Leia mais »

Primeiras atividades – Tempo de Bruços

bruços aos 2 mesesEssa postagem é a segunda de uma série de três sobre atividades com bebês de até dois meses. As outras duas falam sobre a Parentalidade e os Móbiles. Recapitulando um pouco a introdução anterior, tudo ao redor da criança nessa idade já é bastante para lidar, não precisamos acrescentar muito mais.

O “Tempo de Bruços” (tradução livre minha para a expressão em inglês “Tummy Time”) nada mais é do que colocar o bebê acordado por um tempo cada vez mais prolongado sobre o abdômen. O intuito é compensar o corpo da posição fetal, alongando aquelas regiões que passaram muito tempo contraídas, possibilitar que “malhe” os músculos das costas, pescoço, braços e pernas que serão os principais responsáveis para ganhar mobilidade.Leia mais »

Primeiras atividades – Parentalidade


foto 1

Nos dois primeiros meses de vida tudo ao redor do bebê é muita novidade (mamar, tomar banho, ver pessoas…). Por isso, aqui em casa somente três coisas fizeram parte do cotidiano de Isa nesse período: muita atenção dos pais, os móbiles e o “Tempo de Bruços” (tradução livre minha para a expressão em inglês “Tummy Time”). Achei interessante fazer uma postagem para cada uma delas.Leia mais »