17 Livros Infantis para crianças menores de 6 anos

17 livros.png

Esse é o meu terceiro post com indicações de livros para crianças com menos de 6 anos. Todos seguem a orientação de Maria Montessori de serem baseados na realidade e não na fantasia. Os outros dois você encontra aqui e aqui. O segundo link é específico para bebês menores de 2 anos.

Eu só indico livros que eu tenho em casa e gosto de ler para meus filhos. Meus critérios para seleção de livros são:

  • Não ter elementos fantasiosos (fadas, animais falantes, casa de doce, …). A razão está aqui;
  • São bonitos, o que convida à leitura;
  • Possuem temas variados para servir de pretexto em nossas conversas.

Começo colocando abaixo a lista completa com título, editora e preço.  Na sequência falo porque indico cada um:Leia mais »

12 livros para ler com seu bebê

12 livros para ler com seu filho

Todos os 12 livros que recomendo aqui leio com meus filhos desde que eles tinham 3 meses até  hoje (a mais velha tem 2,5 anos). Todos atendem aos meus critérios básicos de livro para bebê:

  • Possuem páginas grossas para resistir ao manuseio do bebê e para facilitar que eles passem as páginas sozinhos;
  • Não tem elementos fantasiosos (fadas, animais falantes, casa de doce, …). A razão está aqui;
  • São bonitos, o que convida à leitura;
  • Possuem temas variados para servir de pretexto em nossas conversas.

Começarei colocando abaixo a lista completa com título, editora e preço.  Na sequência falo o que acho de cada um:Leia mais »

Visita à Biblioteca e indicação de livros

Recentemente fomos pela primeira vez na Biblioteca Infantil Monteiro Lobato em Salvador. Foi uma experiência muito legal. Como nesse mês de abril é comemorado o dia internacional do livro infantil, me senti a impelida a compartilhar essa experiência e indicações de livros.

29573097_1685930784809220_7601767709111370272_n.png

Eu ainda não tinha pensado em levar as minhas crianças de 2 e 3,5 anos na biblioteca, até que vi a Alice, do Montessoriando, com essa idade devolvendo seus livros toda prosa (vídeo). Nesse momento também me dei conta como meus filhos conheciam bem uma livraria, mas não uma biblioteca. E ainda que as livrarias tenham agora cadeiras e mesas para folhear o livro, a biblioteca ainda é bem mais legal.Leia mais »

15 livros para crianças a partir de 2 anos

img_5440

Nessa postagem indico 15 livros para crianças de 2 a 6 anos.  São livros que tenho e gosto muito de ler com meus filhos. Meu critério de seleção são:

  • Não ter elementos fantasiosos (fadas, animais falantes, casa de doce, …). A razão está aqui;
  • São bonitos, o que convida à leitura;
  • Possuem temas variados para servir de pretexto em nossas conversas.

Começarei colocando abaixo a lista completa com título, editora e preço.  Na sequência falo o que acho de cada um:Leia mais »

Fantasia ou real?

IMG_9959

A criança com menos de 6 anos ainda está sendo apresentada ao mundo. Nós adultos, dispostos a ajudar, falamos: a maçã é vermelha, o cachorro faz “au-au”, tenha cuidado ao andar na grama pode ter coco de cachorro. Mas no livro o cachorro não faz “au-au”, nem coco na grama, ele fala, e faz xixi no penico. Que confusão!

Pituco, com 2 anos, ainda não viu todos os bichos que já conhece dos livros. Para ele a fada é tão real quanto o leão. A gente acha a fantasia interessante e divertida e quer dividir isso com eles, mas não percebemos que estamos impondo a nossa fantasia numa criança que ainda não tem recurso para criar a sua própria. A gente fantasia com base no real, extrapolando-o, desafiando o real, mas e a criança que ainda está aprendendo o que é real?

Talvez você já tenha passado pela situação na qual fez uma piadinha com algo fantasioso para uma criança pequena e ela não tenha achado graça. Isso acontece porque ela ainda não entende que essa fantasia é um ato de rebeldia com a realidade Para alguém que ainda aprendendo sobre tudo, uma formiga poder carregar 100x seu próprio peso é tão engraçado quanto a formiga usar óculos de sol. Ela não vê graça, ela absorve a informação.

tenha-livrosHá quem pergunte se esta “restrição” irá limitar a criatividade da criança. Para isso, Montessori já tinha a resposta: Experiências de crianças pequenas com o mundo real tornam-se a base para a sua imaginação e pensamento criativo nos anos da escola primária, quando já não possuem uma mente absorvente, mas uma mente racional.

Para Montessori, existe uma diferença entre fantasia e imaginação. A criança pequena não precisa ouvir contos de fadas para ser capaz de imaginar que pedaços de madeira são trilhos de um trem.

 

“O faz-de-conta saudável, assim como o desenho de observação, a escrita e diversas outras formas de arte são, para Montessori, imaginação. A crença imposta em personagens variadas, o faz-de-conta ilusório e até o medo de seres mágicos são formas de fantasia. A primeira se desenvolve naturalmente quando a criança é deixada em liberdade, a segunda surge a partir da vontade do adulto.” – Lar Montessori

O método Montessori é ainda mais criterioso. Há uma atividade característica do método que trata de apresentar miniatura de animais e depois relacionar a miniatura com a imagem correspondente. Nessa atividade é  recomendável que o tamanho das miniaturas sejam proporcionais entre si. O meu exemplo, da foto abaixo, não é dos melhores porque a vida marinha tem uma enorme variedade de tamanhos. De qualquer forma, eu não deveria colocar aquele caranguejo junto ao polvo, arraia e lula. O carangueijo é normalmente menor que a lula, mas na miniatura da foto estão do mesmo tamanho, o que causa uma desinformação para a criança. Não se convenceu?! Mas… o que você sentiria se alguém lhe apresentasse algo equivocado? Alguém a quem você nem  pediu que lhe ensinasse essa determinada coisa.

img_1251

É bem difícil encontrar produtos que apresentem apenas o real, os livros infantis estão cheios de animais antropomorfos. Vou compartilhando com vocês o que tenho achado de qualidade por aí e adoraria que vocês também compartilhassem comigo.

Links de indicação dos livros: para bebês, para crianças a partir de 2 anos.

Há quem pergunte se esta “restrição” irá limitar a criatividade da criança. Para isso, Montessori já tinha a resposta:

Experiências de crianças pequenas com o mundo real tornam-se a base para a sua imaginação e pensamento criativo nos anos da escola primária, quando já não possuem uma mente absorvente, mas uma mente racional.

Citação a Montessori pelo livro Montessori from the start

Para aprofundar a leitura nesse assunto sugiro ler os seguintes textos do Lar Montessori:

Natal sem Noel: uma perspectiva a favor da imaginação.

Imaginação e fantasia: datas comemorativas.